Você está aqui

Devreker Henri

Sobrenome: 
Devreker
Nome: 
Henri Joseph
Data nascimento: 
quarta-feira, 12 Abril, 1815
Nascido em: 
Diksmuide - Beerst
BE
Resido em: 
Gistel - Moere
BE
Profissão: 
Agrimensor
Travesia
Barco: 
Jan van Eyck - 23.08.1844
Idade momento do embarque: 
29
Chegou com família: 
não
N° de pessoas: 
1
Observação: 

Henri Devreker é irmão de Reine Devreker que nasceu na mesma ciade "Beerst".  Seus pais eram Henri Joseph Devreker en Jeanne-Thérèse Dorny quem nasceram respetivamente em Bovekerke e Koekelare, cidades belgas. Viajaram com o barco Jan van Eyck em 1844 que trouxe cerca de 114 imigrantes belgas para a futura colônia belga em Ilhota, SC. 

Não sabemos quanto tempo Henri viveu na colônia. Foi documentada que o agrimensor juramentado do distrito de Porto-Bello (a atual cidade Porto Belo, em SC), Henri Devreker, foi enviado em 1847 a Ilhota para verificar a situação da colônia belga. Em 17 de julho de 1847, fez uma lista dos colonos ainda presentes, um mapa da colônia belga e questionou os colonos. 

Em 1848, Henrique de Krecker recebe uma concessão de 400 bracas na margem esquerda do Itajaí Mirim, no local que ficou conhecido por "Morro do Creca" ... Tudo indica que o nome correto deste Henrique seja Devreker e não De Krecker. Henririque Devreker era em 1845 "marcador-geométrico juramentado do distrito de Porto Belo",(Jean R. R U L "Os Colonizadores do Vale do Itajaí" - na revista "Blumenau em Cadernos" de julho de 1977)

Em 26 de fevereiro de 1867, Gustave Desnick escreveu uma carta endereçada ao Secretário de Estado da Bélgica pedindo que o governo brasileiro indagasse se Henri Devreker ainda estava vivo. Até 1850, ele enviou cartas de "Porto Alegre Lagitto" a seu irmão Charles, que vive em Koekelare. Depois disso, ele não respondeu. ("Ilhota, een Belgische kolonie aan de Itajahi-Grande" por Raymond Arren).

No livro de Maes (Paulo Rogerio Maes p. 60-61) consta a cidade de nascimento "Beent" e sua profissão "Carpinteiro".  No documento "État nominatif des colons embarqués à Bruges, à bord du Brick Belge Jean Van Eijck, en destination pour la Province de Ste Catherine du Brésil" guardado no arquivo da cidade de Bruges, consta a palavra francesa "Arpenteur" e não "Charpentier". 

 

Fonte dos nomes e sobrenomes

Encontramos grafias diferentes do nome e sobrenome dos emigrantes. Para os registros individuais das famílias neste site, usamos como principal entrada, as seguintes fontes para os imigrantes que chegaram com o barco:

  • "Jan Van Eyck" em 1844: o documento "État nominatif des colons embarqués à Bruges, à bord du Brick Belge Jean Van Eijck, en destination pour la Province de Ste Catherine du Brésil" guardado no Arquivo Municipal da cidade de Bruges, no departamento Arquivo Moderno - VIIa Sûreté Publique, 1844 
  • "Adèle" em 1846: o documento "Liste des personnes à qui il a été délivré des passeports gratuitement, en exécution de la Circulaire de Mr. l'Administrateur de la Sûreté publique en dâte du 2 Mai 1846, Cabinet, N° 45225 - Ville d'Anvers" guardado no Arquivo Nacional em Bruxelas, no setor 269 Émigration au Brésil. 1843-1888. Ministère de la Justice. Sûreté publique (ou Sûreté de l'Etat). Police des Etrangers, 1840-1994

Bibliografia

livros

  • Charles Van Lede e a colonização belga em S. Catarina / Carlos Ficker. - Blumenau, 1972.
  • Colonização Flamenga em Santa Catarina - Ilhota / Paulo Rogério Maes. - 2005.
  • Movidos pela esperança: A história centenária de Ilhota / Viviane dos Santos e Elaine Cristina de Souza. - S&T Editores, 2006.

artigos

  • 3.3. Colônia belga p. 110-113 em A colonização de Santa Catarina / Walter Fernando Piazza. - Porto Alegre: Editora Pallotti, 1982.
  • Ilhota: Tempos e contratempos de uma colônia belga / Maria do Carmo Ramos Krieger Goulart p. 153-156 na revista Blumenau em cadernos 1982 – 5  (maio 1982) 
  • VII. Santa Catarina do Brasil (1842 - 1875) p. 119-137 em Dos Açores ao Zaire: Todas as colônias belgas nos seis continentes. O surgimento, a História, a comunicação / Patrick Maselis. - Roeselare: Roularta Books, 2005.
  • CHAPTER 5 - SANTA CATARINA p. 138 – 155 Early Belgian colonial efforts: The long and fateful shadow of & Leopold I / Robert Raymond Ansiaux. Presented to the Faculty of the Graduate School of The University of Texas at Arlington in Partial Fulfillment of the Requirements for the Degree of DOCTOR OF PHILOSOPHY. - THE UNIVERSITY OF TEXAS AT ARLINGTON, December 2006
  • Sainte-Cathérine du Brésil ou os belgas em Santa Catarina / Eddy Stols p. 22-26 em Brasil e Bélgica: Cinco séculos de conexões e interações. - São Paulo: Narrativa Um, 2014.
  • Ilhota, een Belgische kolonie aan de Itajahi-Grande/ Raymond Arren em Spaenhiers Jaarboek 2010.
  • Een Brugse kolonie in Brazilië: ‘Adieu, Vlaenderen en Braband. Wy gaen nae ’t luy Lekkerland…’Bart Demuynck p. 151-162 em Brugs Ommeland: driemaandelijks tijdschrift, 55ste jaargang, nummer 3, september 2015.