Você está aqui

Ladrilhos belgas no Palacete 10 de Julho em Pindamonhangaba

Location: 
Rua Deputado Claro Cesar 33, Pindamonganhaba - São Paulo
Palacete 10 julho ladrilhos belgas
Tombado: 
sim

Palacete 10 de Julho, na cidade paulista de Pindamonhangaba, atualmente abriga a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. Ele foi a residencia do Barão de Itapeva, Ignácio Bicudo de Siqueira Salgado, e sua família até 1925, na época conhecido como "Solar de Tetequera". A partir de 1929, foi ocupado pelos poderes municipais e funcionou como sede da Prefeitura. Em 2014 começou o seu processo de restauraçao, com uma criteriosa recuperação da edificação, a preservação de suas características originais e as adaptaçoes necessatias ao novo uso.

Palacete 10 Julho

O projeto foi concebido pelo arquiteto francês radicado no Vale do Paraíba, Charles Peyronton, na segunda metade do século XIX. Quatro anos foram necessários para que a obra fosse concluída.O prédio, com área construída de 1.180 m², ostenta luxuosos acabamentos e adornos arquitetônicos em suas fachadas e no seu interior. A edificação é composta de três seções: o térreo, o pavimento superior e o porão, que serviu de moradia dos escravos. O palacete é considerado um dos mais importantes exemplos de arquitetura residencial da nobreza cafeeira do Vale do Paraíba.

Escreve o site Vitruvius:

"A planta, com uma distribuição racional que repete a tradicional solução de implantação junto à testada da rua e o agenciamento em “L”, inova na elevação do térreo em relação à rua através da adoção do porão, destinado aos serviços. De fato, foi a primeira residência de vulto em Pindamonhangaba a adotar esta solução, depois comum na arquitetura residencial urbana brasileira do período, que, mantendo a tradição colonial de abertura de portas e janelas diretamente para a rua, preservava o interior da habitação dos inconvenientes olhares furtivos. Além do seu já citado agenciamento da planta e sua contida implantação, o edifício conserva elementos do modelo colonial como o fato de suas paredes ainda manterem a espessura necessária à velha taipa de pilão, apesar de ser construído em alvenaria de tijolos.

Ao mesmo tempo anuncia, através da profusa decoração e do uso de elementos industrializados, o desejo pelo que havia de mais moderno em termos de materiais e soluções construtivas: grades trabalhadas de ferro fundido, colunas gregas, imponente escadaria em mármore do hall de entrada, ladrilhos hidráulicos, esquadrias em pinho de riga, forros em madeira policromados, cobertura em quatro águas revestida com telhas francesas. Destacam-se em meio a estes, o piso do hall de entrada, onde o belo ladrilho hidráulico possui padrão decorativo e a clarabóia ovalada, ricamente trabalhada em elementos decorativos em argamassa, que ilumina o salão central do pavimento superior." 

No térreo, se destacam os ladrilhos hidráulicos belgas, que cobrem todo o espaço.

Palacete 10 julho Ladrilhos belgas

Nas esquinas, foram colocadas figuras de animais compostas de 16 ladrilhos em formato quadrado, representando as figuras mitológicas de um leão, uma águia, um dragão e um peixe. Outros ladrilhos criam uma perspectiva 3 D.

Palacete 10 julho Peixe Ladrilhos belgas

Nos encontramos os mesmos padroes de desenhos na Casa França Brasil no Rio de Janeiro. Os ladrilhos em Pindamonhangaba consideravelmente sofreram menos com o desgaste do tempo.

Fontes:

  • Visita e conversa com Flávio do Secretaria de Turismo e Cultura, 05 agosto de 2021
  • Folheto da Prefeitura de Pindamonhangaba
  • Site Vitruvius

Texto e fotos: Marc Storms, agosto de 2021