Você está aqui

Instituto Butantan - Conjunto de Cocheiras-enfermaria

Location: 
Av. Vital Brasil, 1500, São Paulo - São Paulo

O Engenheiro arquiteto belga Vicotr Andrigo foi responsável por projetar o Conjunto de Cocheiras-enfermaria do 1º prédio do Instituto Butantan, na época denominado Instituto Serumtherapico de São Paulo), concluído em 1901: a antiga Cocheira-enfermaria para animais (cavalos) imunizados para produção de soros (antipestoso e antiofídico).

Breve Histórico

Concluído em 1901, esse conjunto, originalmente de dois edifícios, foi o primeiro a ser construídos especificamente para o Instituto Butantan. Um maior, situado à direita de quem avista o grupo, funcionava como cocheira-enfermaria para animais pestosos. Outro menor e à esquerda (centro da foto), cumpria a função de biotério para animais de experiência. Em 1917, foi erguido o terceiro edifício, semelhante ao primeiro e colocado à esquerda da composição que completa a disposição simétrica do conjunto. Atualmente abriga laboratórios de pesquisa.

Descrição arquitetônica

A construção, iniciada em 1900 – anterior ao decreto de fundação do Instituto Serumtherapico -, foi idealizada pelo arquiteto Victor Andrigo e ficou a cargo do engenheiro Dr. Augusto Fomm. Eram galpões simples, com interior subdividido em baias individuais para acondicionar os animais no processo de inoculação do veneno e posterior extração do sangue para a produção do soro. Continha espaço específico para enfermaria, desinfecção e necropsia dos animais, além de um cômodo para forno crematório e uma grande estufa de esterilização. Adotou-se uma linguagem arquitetônica formal ligada ao ecletismo historicista, de linhagem clássica, porém relacionada aos aspectos pitorescos de edificações semirrurais europeias, especialmente francesas. Somente a elevação principal recebeu tratamento em bossagem em relevo e rusticação semelhante a assentamento de pedras aparelhadas. As demais fachadas são simples, com barrado de embasamento, relevo horizontal à meia-altura demarcando as vergas, além de portas e janelas almofadadas e encimadas por bandeiras. A edificação central, mais baixa e menor, busca evidenciar maior sensação de altivez aos dois prédios situados nas pontas do conjunto.

Butantan

Foto e texto: Guia de arquitetura Butantan / Paulo Henrique Nico Monteiro (Org.). 2017.