Você está aqui

Urban, François Frank (1883 - 1954)

Urban François Frank
Social Media: 

François Frank Urban, nacionalidade Belga, natural de Schaerbeek (Bélgica), onde nasceu em 22 de Setembro de 1883, com filho de Josef Urban e de Julia Dela Roche.

Ele estudou pintura em Paris e Munique. Casou-se com a inglesa Angela Winnifield Hudge (Bristol, 4/1/1894 - xx/12/1964). Ele viajava muito pelo mundo, fazendo suas obras. A prova disso era os 3 filhos, que cada um nasceu em um lugar diferente. O filho François Ferdinand Urban em 1919 em Londres, o segundo, Maximiliano, na Bolivia e o terceiro, Frederico José, em 3 de janeiro de 1923 na cidade de Montevideo em Uruguai. Provavelmente em todos lugares aonde François Frank viveu, devem ter obras dele. François Frank vinha muito ao Brasil trabalhar antes de fixar residência no Brasil. Isto aconteceu em 22.11.1934 e a família instalou-se em São Paulo, na rua Avenida Angélica 184. Uma carte no arquivo do DOPS confirma que em 1943 ele ainda era residente em São Paulo no mesmo endereço.

Urban François Frank registro geral

François Frank era de profissão artista pintor, sendo para tal sócio da Sociedade Brasileira de Belas Artes com sede na Capital e do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo (Sociedade Paulista de Belas Artes), especializado em aquarelas. Expôs no Rio, São Paulo, Bahia e Recife. Obteve menção honorosa Pintura no Salão Paulista de Belas Artes, São Paulo em 1943. Paricipou também das edições de 1935, 1936, 1937, 1942 e 1948.

Escreve Regina Mello: Em 1925, Conrado Sorgenicht  II  viajou a Europa para visitor a “Exposition des Arts Decoratifs de Paris”, e percorreu a Alemanha, a Itália, a França e a Bélgica. Foi de la que veio monsieur Franck Urban, que trabalhou durante muitos anos no Casa Conrado e criou, entre outros, o vitral da Sabesp de Santos. 

Em carta de 12/02/1943 ao Delegado de Ordem Politica e Social, François Frank pediu licença para no desempenho de sua profissão viajar e de pintar paisagens, assim como de lugares históricos, afim de que para o futuro poderia fazer uma exposição do mesmos. Ele recebeu no dia 24/02/1943 a autorização a tomar aspectos da Capital e do interior do Estado, desde que não tenham relação com objetos militares.

Na década de 1940, a direção da Casa Genta (Porto Alegre) contatou François Frank, convidando-o para assumir a parte artística da Casa. Ele indicou o seu filho François Ferdinand Urban, também pintor, que em 1946 assumiu a gerência do departamento de artes da Casa Genta. O Frederico e o Maximiliano trabalhavam com pinturas em azulejos .

François Frank Urban provavelmente faleceu no começo do ano 1954. O Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOSP) de 05 de fevereiro de 1954 contem o processo de arrecadação de seus bens. 

Fontes:
  • Dicionário Brasileiro de Artistas Plasticos - vol. 4. - Brasilia: Instituto Nacional do Livro, 1980. veja p. 436
  • DOPS Prontuário 10507 – Arquivo do Estado de São Paulo
  • Uma Pequena Biblioteca Particular / Stickel, Erico J. Siriuba - p. 720
  • CASA CONRADO: CEM ANOS DO VITRAL BRASILEIRO / REGINA LARA SILVEIRA MELLO. - CAMPINAS, 1996. (p. 60)
  • A ARTE VITRAL DO SÉCULO XX EM PELOTAS, RS / Mariana Gaelzer Wertheimer. - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS, 2011.  (p. 73)
  • http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa343783/frank-urban 
  • "Brasil, Cartões de Imigração, 1900-1965," database with images, FamilySearch, François Frank Urban, Immigration; citing 1945, Arquivo Nacional, Rio de Janeiro (National Archives, Rio de Janeiro).

Foto: Elisabeth Urban Lisa