Você está aqui

Puttemans, Hubert

Social Media: 

O agrônomo belga Hubert Puttemans foi contratado para a direção do Horta de Culturas da Escola Politécnica (Poli) de São Paulo em 26 de dezembro de 1900. Alguns meses depois, em 23 de março de 1901, foi contratado para lecionar as cadeiras “Agricultura Geral e Silvicultura” e “Agricultura Especial e Patologia Vegetal”, pertences ao Curso de Engenheiros Agrônomos da Poli. Lecionou também aulas teóricas e práticas.

O curso de Engenharia Agrícola na Poli visava introduzir princípios científicos e processos racionais em práticas agrícolas. Puttemans criou na Poli os campos de demonstração e experiência e introduziu o uso de máquinas agrícolas no Brasil que ele importou do exterior.

No Anuário de 1907, escreveu: “Para proporcionar ao aluno o ensino conveniente dispõe a Escola de duas áreas bastante extensas de terrenos aonde em escala suficiente se pode proceder a várias culturas e a experimentações agrícolas de todo interesse”. A Poli tinha, na época, cerca de quarenta máquinas agrícolas, compradas por Puttemans, como arados e ceifadeiras, empregados pelos próprios alunos, que ainda desmontavam e montavam os equipamentos, para treinar.

Puttemans Hubert Alunos exercitando ceifadeira

Deixou a Poli em 31 de dezembro de 1910 com a reforma que extinguiu o Curso de Engenheiros Agrônomos.

Mudou-se para a Escola de Agricultura Luiz de Queiroz em Piracicaba (SP) onde sucedeu o professor de agricultura, o belga Jean Baptiste Michel, engenheiro agrônomo formado em Gembloux.

Informações sobre onde nasceu, faleceu ou formou-se ainda não foram encontradas. Seu irmão, Arsène Puttemans, mudou-se também para o Brasil e outro irmão, o esculturo Auguste Puttemans, estive em São Paulo em 1913. 

Pesquisa:

Marc Storms, no Arquivo Histórico da Poli (USP)