Você está aqui

Oficina Jacobs & Tomberg e Tomberg & Filho (Pelotas)

Jacobs & Tomberg Pelotas
Social Media: 

A oficina Jacobs & Tomberg fundado nos anos 1920 por imigrantes belgas atuou na produção de artefatos metálicos para edificações em Pelotas. Jean Henri Tomberg, eletricista e mecânico, nasceu em Ixelles perto de Bruxelas no dia 16 de abril de 1883, e a sua esposa, Marie Jacobs, nasceu em Uccle, também na região de Bruxelas, no dia 02 de dezembro de 1881. O casal estave inscrito na cidade de Woluwe-Saint-Pierre no dia 03 de maio de 1919.

A vinda para o Brasil teve como motivo a deflagração da Primeira Guerra Mundial, que durou de 1914 a 1918. João Henrique Tomberg, na cidade de Bruxelas (Bélgica), confeccionava e fazia a manutenção das coberturas metálicas dos depósitos das “gares” (estações) dos trens e bondes. Era um artífice do ferro e conhecia a arte de trabalhar os metais. João Henrique Tomberg, Marie Jacobs e o filho Gabriel Marie Henri Tomberg (3.12.1909 - Ixelles, Bélgica) sairam de Bruxelas de trem para Marseille onde embarcarm num navio para o Brasil. A viagem durou 43 dias. Desembarcaram em Santos. 

Eles viram para explorar madeiras em São Paulo, porém passaram por dificuldades e adoeceram vitimados pela malária. No final de 1920 / início de 1921, Gabriel que estava doente, voltou para a Bélgica acompanhada de uma senhora e outras duas crianças. A informação de que numa cidade ao sul do país, denominada Pelotas, o Quartel necessitava de profissionais para a confecção das estruturas metálicas necessárias aos alojamentos, foi suficiente para que os pais deixassem o trabalho em São Paulo e viessem para o sul do Brasil, dando início à firma Jacobs & Tomberg, que alguns anos após se tornaria Tomberg & Filho Ltda.

Jacobs & Tomberg

Ainda hoje, encontram-se componentes arquiteturais metálicos confeccionados por essa metalúrgica nas primeiras décadas do século XX. Estruturas metálicas para a cobertura dos alojamentos no já mencionado Quartel de Pelotas, localizado no bairro Fragata, é um dos exemplos de serviços prestados.

Os Tomberg sempre foram muito requisitados e davam assistência aos estabelecimentos comerciais, principalmente quando acontecia algum problema com as cortinas metálicas. Concorriam com outra “oficina” chamada Ernesto Giorgi, (localizada em frente a antiga Usina) na prestação de serviços ao mercado de Pelotas, em serralheria de alto padrão. As fachadas do sobrado n. 61, em frente à Praça Coronel Pedro Osório, e do Centro Comercial, no calçadão da Andrade Neves esquina com Marechal Floriano, ilustram essa disputa, pois ambas as edificações contêm cortinas metálicas e montantes, com inscrições das oficinas Jacobs & Tomberg (posteriormente, Tomberg & Filho Ltda.) e da Ernesto Giorgi.

Pelotas Tomberg & Filho Logomarca

A oficina localizava-se à Avenida Saldanha Marinho, nos números 14 e 16, e ao lado, nos números 12 e 18, residia a família Tomberg. Naquele local, enfrentaram muitas enchentes, mesmo assim confeccionavam diversos componentes para a arquitetura, tais como: estruturas, esquadrias em geral, grades, portões e gradis, colunas de fachada e cortinas metálicas, bandeiras e alguns outros. Sempre atenderam toda a sorte de projetos, residenciais, comerciais e muitos outros.

As três gerações da família Tomberg

(Em pé, Jean Henri, sentado no meio, seu neto Jõa Henrique, ao lado direito, seu filho Gabriel)

Além dos trabalhos direcionados à arquitetura, ainda inventaram uma prensa para enfardar lãs, que comercializaram em toda a região sul e exportaram para o Uruguai. Segundo Adriane Carpena Alves, filha de Gabriel Tomberg e neta de João Henrique Tomberg, a oficina tinha caráter familiar, onde eram empregados cerca de 30 funcionários.

O material estocado ficava junto às paredes do prédio, onde havia extensas mesas de trabalho para malhar o ferro aquecido na forja. Inicialmente, o metal vinha da Siderúrgica Belgo Mineira e, depois, da Siderúrgica Nacional. Gabriel Tomberg reclamava da qualidade do produto que vinha desta última, pois acreditava que o metal era obtido pela mistura do ferro gusa com sucatas de máquinas refundidas.

Os artefatos da Jacobs & Tomberg encontrados no inventário que se fez na área central da cidade foram: cortinas metálicas, montantes e, provavelmente, as bandeiras que se encontram integradas ao conjunto. Além desses, Ana Paula identificou alguns componentes arquiteturais de residências da década de 1950 e 1970, confeccionados pela Tomberg & Filho Ltda.

Tomberg Pelotas

Espalhada pela cidade de Pelotas, o visitante atento, ainda poderia descobrir vestígios dos trabalhos de ferro dos Tomberg. São inumeráveis cortinas metálicas, portas e grades de ferro fundido e ornamentos em ferro para fachadas, dos quais alguns ainda tem a placa “Jacobs & Tomberg” ou “Tomberg & Filho”.

Tomberg & Filho persiana de aço

Tomberg & Filho persiana de aço

Fontes:

Fotos preto-branco: dissertação

Fotos coloridas: Marc Storms, março de 2018