Você está aqui

Milde, Jeanne Louise (1900 - 1997)

Milde Jeanne
Social Media: 

Na Bélgica

Milde Jean Louise

Jeanne Louise Milde é filha de Josse Milde e Mathilde Cammaerts Milde. Nasceu em 15 de julho de 1900 em Bruxelas (Bélgica). Estudou belas artes na Real Academia de Bruxelas, onde recebeu uma sólida e bem fundamentada formação acadêmica. Vivenciou e experenciou a grande revolução cultural que ocorreu nas primeiras décadas do século XX. Apesar de não estar diretamente ligada a nenhum movimento de vanguarda nas artes, assistiu (e a seu modo também atuou) a grande transformação ocorrida no campo das artes, da cultura e da sociedade.

Ser mulher e artista no início do século XX não era uma tarefa simples ou fácil. Enfrentou a oposição da sua família e da sociedade belga da sua época. A sua mãe não queria que estudasse e, provavelmente, se o seu pai soubesse, ele não teria permitido. Por isto, no início, frequentou a escola sem que soubessem. Em 24 de setembro de 1918, foi “a única mulher a ser aceita pela Escola de Belas Artes".

Recebe dois prêmios do governo belga, concedidos a artistas jovens: o Godecharle, 1926, e o prêmio de viagem a Roma, 1927. Entretanto, por relações diplomáticas difíceis entre Itália e Bélgica, Milde é compensada com viagem a Paris e participa de exposições importantes como a do Salon de La Societé Française de Beaux-Arts.

Esse momento inicial foi fundamental na constituição de seus valores e de sua personalidade.

No Brasil

Milde Jeanne MHABMudou-se da Bélgica para Belo Horizonte (Brasil) em 1929, para integrar a Missão Pedagógica Européia, inserida na Reforma de Ensino de Francisco Campos.  Em Belo Horizonte, leciona na Escola de Aperfeiçoamento, na qual prepara professores para ministrar a disciplina de trabalhos manuais, que inclui modelagem e pintura no currículo. Presença significativa no panorama artístico de Belo Horizonte, Mlle. Milde participou como artista plástica e mulher nesse meio nas décadas de 20 a 50 do século XX. Em 1930, cria dois baixos-relevos decorativos para o prédio da Escola Normal Modelo, atual Instituto de Educação, em Belo Horizonte. Produz esculturas para parques, praças, cemitérios e jardins residenciais. É considerada uma das precursoras do modernismo em Minas Gerais.

Esreve o poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade em "As moças da escola de aperfeiçeamento"

Que vêm fazer essas jovems?
Vêm descobrir coisas
De Decroly°, Claparède
Novidades pedagógicas
Segredos de arte e de técnica
Revelados por Hélène Antipoff,
Madame Artus, Mademoiselle Milde,
Mais quem?
A escola novidadeira
Dita de Aperfeiçoamento. 

Foi a primeira mulher e artista profissional a se estabelecer na cidade de Belo Horizonte, abrindo espaço para a participação feminina e para a arte moderna que posteriormente se estabeleceriam nas terras da capital mineira. Sua arte foi marcada pelo clássico-moderno, adotando linguagens artísticas próximas ao Simbolismo, Art Déco, Art Nouveau, Expressionismo, mas permanecendo com uma percepção de arte que pode ser denominada clássica.

assinatura MildeJeanne Louise Milde era uma artista moderna, se se entende o moderno na arte constituindo-se a partir do neoclassicismo e do romantismo. Seu simbolismo inicial configurava-se como arte moderna. Além desse moderno-novo, o antigoclássico também encontrava-se presente em sua obra. Sua produção permanecia presa a pressupostos clássicos, por isso não se pode ver em seu fazer artístico, em sua concepção de arte, uma arte vanguardista. Para Milde, as obras de Arte eram figurativas e realizadas a partir de muito estudo e dedicação. 

Ela faleceu em 1997 em Belo Horizonte. 

° Ovide Decroly, médico e pedagogo belga 

Fontes

Imagens:
  • Foto em preto - branco : Museu Histórico Abilio Barreto, Belo Horizonte, BH.RET.1985-001
  • Foto capa livro ENTRE BRUXELAS E BELO HORIZONTE - ITINERARIOS DA ESCULTORA JEANNE LOUISE MILDE /  RODRIGUES, RITA LAGES. - EDITORA C / ARTE, 2003. - ISBN 8587073737
  • Foto assinatura: Marc Storms, julho 2015