Você está aqui

Comblin, José (1923 - 2011)

Social Media: 

José Comblin (Bruxelas, 22 de março de 1923 — Simões Filho, 27 de março de 2011) foi um sacerdote e missionário belga, teólogo da Teologia da Libertação.

Teve mais de cinquenta obras publicadas e traduzidas em vários idiomas. Suas principais contribuições foram na teologia do desenvolvimento, na teologia da cidade, na teologia da prática revolucionária, na teologia dos direitos humanos e na teologia da libertação. Também merecem destaque suas análises sobre a ideologia da Segurança Nacional dos regimes militares latinoamericanos na década de 1970 e sobre o neoliberalismo.

Em 1940, entrou no Seminário Leão XIII, em Lovaina (Bélgica). Entre 1940 e 1942, fez estudos de ciências biológicas e filosofia. Entre 1943 e 1946, estudou no Seminário São José em Malines (Bélgica). De 1946 a 1950, cursou na Faculdade de Teologia em Lovaina, onde se tornou doutor em teologia. Em 9 de fevereiro de 1947, foi ordenado sacerdote em Malines. Em 1953, obteve doutorado em teologia pela Universidade Católica de Lovaina.

Teologia da Cidade / José ComblinMotivado pelo apelo Papa Pio XII, solicitou seu envio para a América Latina. Foi encaminhado para Campinas. Chegou ao Brasil em 30 de junho de 1958. Entre 1958 e 1962, foi professor no seminário diocesano e na Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Além disso, foi convidado para ser assistente diocesano da Juventude Operária Católica (JOC). Entre 1959 e 1962, também ensinou no Studium Theologicum dos Dominicanos em São Paulo, onde teve como alunos: Ivone Gebara, Frei Betto e Frei Tito. Entre 1962 e 1965, foi professor na Faculdade de Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Chile (Chile). Entre 1965 e 1968, convidado por Dom Hélder Câmara, foi professor no Seminário regional do Nordeste em Camaragibe e professor no Instituto de Teologia do Recife. Entre 1968 e 1972 foi professor de teologia no IPLA (Quito, Equador). Entre 1971 a 1988, foi professor de teologia pastoral na Faculdade de Teologia da Universidade Católica de Lovaina.

A partir de 1969 esteve à frente da criação de seminários rurais em Pernambuco e na Paraíba. A metodologia utilizada para os seminários era adaptada ao ambiente social dos seminaristas. Esta experiência lançou as bases para a Teologia da Enxada. Suas ideias o colocaram sob suspeita do regime militar. Foi detido, ao desembarcar no aeroporto de volta de uma viagem à Europa e deportado em 24 de março de 1972. Exilou-se no Chile durante 8 anos, onde em 1973, ocorreu o Golpe Militar no Chile, circunstância que forçou Comblin a se afastar do ensino para evitar chamar a atenção. Em seu livro A Ideologia da Segurança Nacional, publicado em 1977, destrinchou a doutrina que servia de base para os regimes militares na América Latina. Em 1980, foi expulso por Pinochet e conseguiu retornar ao Brasil, com visto de turista, circunstância que exigia renovação a cada 3 meses, o que o obrigou a sair do país a cada 3 meses durante 6 anos, para renovar o visto, até que em 1986 foi anistiado e recebeu novamente o visto permanente.

Comblin foi um dos primeiros teóricos da "teologia do desenvolvimento", que parte da ideia que o desenvolvimento faz parte da vocação humana e é o motor da história. Em seus escritos, distingue duas concepções de desenvolvimento: "a técnica", que subordina o aspecto moral ao tecnológico, e a intelectual, que subordina o aspecto tecnológico a ao moral. Publicou cerca de 65 livros e mais de 300 artigos, principalmente em português, espanhol e francês.Sua obra abrange vários gêneros, teologias da paz, da cidade, da nação e do nacionalismo e da revolução.

Fonte e foto: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Comblin